A vida é simples. Difícil é ser simples.

Photo by Thom Holmes on Unsplash

A gente ouve muito a frase “dinheiro não traz felicidade”. Isso pode ser verdade para muita gente, mas para a maioria é uma baita demagogia.

Dinheiro realmente não satisfaz, por si só, as necessidades emocionais do ser humano que caracterizamos como FELICIDADE. Mas certamente a falta dele pode dificultar muito a gente de alcançá-la.

É muito difícil ser feliz tendo que se preocupar com o dinheiro.

Na verdade com a falta dele, porque só se preocupa com dinheiro quem não tem ou quem trabalha com isso. Trabalhar diariamente por necessidade, para ter onde morar, o que comer, como estudar, como ter algum tipo de lazer — e olha que muita gente se limita ao simples fato de sobreviver (ter o que comer já é um privilégio pra muitos brasileiros).

Claro que não podemos minimizar outras dores, como doença, morte de entes queridos, ausência completa de amor materno/paterno, etc., que mesmo os ricos não estão isentos. Mas é extremamente confortável pensar que amanhã eu vou acordar tendo um lugar bacana pra morar, comida na mesa, lazer disponível, tempo para passar com pessoas queridas, filhos na escola, pets bem cuidados, poder planejar uma viagem legal pra daqui uns dias, ter como me locomover com conforto e segurança para os lugares, ter acesso a educação e saúde de alto nível, ter outras pessoas — bem pagas — que fazem a parte das tarefas que você não gosta de fazer e poder se dedicar ao que você ama simplesmente.

Deve ser lindo não se preocupar com dinheiro.

Eu nunca tive isso. Mesmo tendo feito um movimento há 2 anos para focar em uma vida mais simples, viver com menos e com melhor qualidade de vida, não é fácil deixar de cair nas armadilhas que a gente mesmo monta.

Photo by Denys Nevozhai on Unsplash

É preciso ter dinheiro suficiente para viver uma vida simples, para a maior parte de nós — privilegiados que se cansam das rotinas e pensam em simplificar. Porque a gente não muda a cabeça tão fácil. Porque a gente ainda continua pensando que seria mais feliz tendo um imóvel próprio, viagem internacional todo ano, viagens pequenas todo fim de semana, tempo de qualidade com a gente, poder estudar bastante, educar nossos filhos nas melhores escolas, ter disponíveis os melhores profissionais para cuidar deles, de nós, de nossa casa, poder dormir e acordar quando quiser… e pra isso tudo acontecer fácil, só tendo bastante dinheiro.

E para ter bastante dinheiro não sendo herdeiro, tem que ralar. E ralando, passamos a nos preocupar com o maldito dinheiro e vai-se embora nossa proposta de vida simples.

Por isso digo que é difícil. Para fazer uma mudança radical de vida, é preciso uma mudança radical INTERNA primeiro. Um insight, um clique. Se não tem isso, ficamos frustrados e saímos à caça da mudança novamente. Qualquer mudança. É um ciclo.

Dinheiro traz felicidade? Talvez não. Mas dinheiro alivia nossa carga mental e emocional e nos possibilita vivermos mais leves, termos mais momentos felizes, olhar para a vida de outra forma, enquanto a gente não consegue esse “clique” interno que nos permita ser simples e admirar o simples.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *